Expectativa sobre o fenômeno El Niño pode ser precipitada, diz especialista Quinta, 20 de abril de 2017.

20042017 SEPAF MSHá uma expectativa de que o fenômeno climático conhecido como El Niño possa voltar a acontecer, influenciando, entre outros fatores, na atividade agrícola e, consequentemente, na economia, tornando-se o vilão da inflação.

O professor Fábio Marin, do Departamento de Engenharia de Biossistemas da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq), em Piracicaba (SP) revela que, pelo menos por enquanto, não existe indicativo de que o fenômeno possa ocorrer. O docente também considera precipitada qualquer avaliação dessa natureza, ou mesmo de que isso possa contribuir para alterações de ordem econômica no País, como o retorno da inflação.

No entanto, supondo-se que o El Niño realmente ocorra, não há sinal claro de que possa ocasionar problemas no setor agrícola. “Nós já tivemos anos com o El Niño em que a situação da agricultura foi favorecida e também já tivemos anos em que foi prejudicada”, diz Fábio Marin.

O fenômeno pode ocorrer a qualquer momento, mas não se consegue tão facilmente fazer previsões acerca de se irá ou não afetar a safra agrícola e tampouco sobre seus efeitos na inflação. “Quando o El Niño está bem caracterizado, o que não é o caso deste ano, temos um quadro de chuva excessiva no Sul do País e seca no Norte e Nordeste”, explica Marin.

Por outro lado, as regiões Sudeste e Centro-Oeste não apresentam o mesmo padrão de comportamento climático, tendo em vista que podem apresentar tanto um quadro de seca como períodos de chuva intensa.

Posicionamento da CNM
A Confederação Nacional de Municípios (CNM) enfatiza que de acordo com os especialistas de monitoramento meteorológicos dos principais órgãos do país, é necessário que se tenha o devido cuidado com a divulgação de dados negativos que apontam o El Niño como o principal fenômeno causador de ocorrências de eventos naturais extremos. Não existem dados comprobatórios que indiquem que o fenômeno sozinho pode causar tantas variações de clima.

A CNM avalia, ainda, que tal panorama de incertezas, baseadas ao produtor rural demonstra a importância do desenvolvimento de políticas públicas com destaque para o Plano Safra da agricultura visando minimizar o impacto das variações climáticas à exemplo do seguro rural, construção de armazéns e implantação de sistemas de irrigação.

Clique aqui para assistir matéria da TV CNM sobre o assunto.

Da Agencia CNM, com informações do Jornal da USP

Voltar