Observatório dos Desastres traz novos dados sobre os Municípios Terça, 09 de maio de 2017.

Ag. CNMOs Municípios brasileiros estão frequentemente expostos aos efeitos dos desastres naturais. Seja pelo excesso de chuva ou pela falta dela, os prejuízos são milionários. O Observatório dos Desastres, da Confederação Nacional de Municípios (CNM), faz o acompanhamento frequente dessas informações. O hotsite agora conta com os dados de 2016 e pode ser acessado gratuitamente.   

Todo o conteúdo está apresentado em uma interface de fácil manuseio, disponível em quatro abas. A primeira delas mostra um retrato das cidades afetadas pelos fenômenos naturais. É possível fazer o recorte por Estado, pelo desastre e também seu tipo: Estado de Calamidade Pública ou Situação de Emergência.

Já na aba de estrutura e planejamento o visitante consegue obter uma ideia de quais Municípios dispõem de estrutura de gestão de riscos. Em recursos da União, o sistema oferece dados sobre os recursos recebidos de acordo com os programas federais, mesmo quando disponibilizados para os Estados. A novidade fica por conta da incorporação dos dados referentes a 2016.

Um dos destaques da página fica por conta da aba de prejuízos, que consegue mensurar os efeitos dos desastres aos Municípios brasileiros. Como nota a CNM, o ano passado foi bastante complicado para os gestores locais. Por um lado, a seca assolou aos Municípios da região Nordeste. Por outro, os temporais castigaram os Municípios do Sul. Os prejuízos causados pelos desastres naturais somaram R$ 32 bilhões em todo o país.

Prejuízos em números

A seca, por exemplo, impactou negativamente a pecuária em R$ 5,2 bilhões. Já na indústria, as perdas totalizam R$ 676 milhões. A região Nordeste foi a mais afetada com mais de 19 R$ bilhões somados em prejuízos. Ao todo, o Brasil sofreu mais de R$ 27,8 bilhões em prejuízos com a seca.

Com a chuva não foi diferente. O fenômeno causou muitos danos materiais e ambientais nos Municípios, somando R$ 3,9 bilhões. A região Sul registrou mais de R$ 2,5 bilhões em prejuízos. O Rio Grande do Sul foi o Estado mais afetado, seguido do Paraná e Santa Catarina.

Sobre o projeto

Lançado em 2015, na Marcha a Brasília em Defesa dos Municípios, o Observatórios dos Desastres Naturais veio como resposta à necessidade de unir todas as informações sobre o tema em um só lugar.

O hotsite foi pensado para apresentar em mapas a realidade dos Municípios sobre o tipo de desastre que enfrentam, quais estruturas de proteção e defesa civil possuem, os recursos recebidos entre outras informações.

A página oferece ainda uma coletânea de materiais técnicos, como estudos e cartilhas publicados pela Confederação. Na Marcha deste ano, a entidade irá lançar o material: Municípios e o convívio com a seca, que será distribuído aos participantes.

Acesse o Observatório dos Desastres

Inscreva-se na XX Marcha aqui

Voltar