Proximidade do verão aciona alerta para desastres; matéria do Senado menciona dados da CNM Terça, 14 de novembro de 2017.

Divulgação“Falta pouco mais de mês para o início do verão, que vai de 21 de dezembro a 20 de março. Caracterizada por dias mais longos e quentes, a estação é associada às férias. Em contrapartida, é época de muitas chuvas devido ao aumento do calor no Brasil. Esse fenômeno eleva os riscos de desastres naturais e a propagação de epidemias como a dengue, doença transmitida pelo mosquito Aedes aegypti”.

O alerta acima, feito pela Agência Senado, especial cidadania, destaca dados do Observatório dos Desastres Naturais da Confederação Nacional de Municípios (CNM). Com o título Proximidade do verão aciona alerta para desastres naturais, o texto publicado nesta terça-feira, 14 de novembro, chama atenção para os registros de anormalidades copilados pela entidade municipalista e para números do governo.

“Nos últimos dez anos, os desastres naturais geraram 20.347 decretações. Já os casos de dengue chegaram a 802.249 somente em 2016, de acordo com o Ministério da Saúde”, sinaliza a matéria, que também menciona dados do último Anuário Brasileiro de Desastres Naturais publicado traz dados de 2013. Elaborado pelo Centro Nacional de Gerenciamento de Riscos e Desastres (Cenad), o anuário registrou 493 desastres naturais e 183 mortes. As ocorrências que mais mataram foram deslizamentos, enxurradas, inundações e chuvas intensas.

A Defesa Civil deve desencadear ações preventivas e de resposta aos desastres, seguindo o princípio da defesa comunitária. As ações de alerta e monitoramento são feitas pelo Centro Nacional de Gerenciamento de Riscos e Desastres, e o órgão é responsável por coordenar o Sistema Nacional de Proteção e Defesa Civil, em articulação com os governos locais e a população. Em 2016, o órgão realizou 2.071 reconhecimentos de Situação de Emergência (SE) ou Estado de Calamidade Pública (ECP), em 1.449 Municípios.

Aviso

Uma inovação, segundo destaca ainda o texto, é o envio de informações por e-mail para as defesas civis estaduais e municipais. O alerta é feito pelo Centro Nacional de Gerenciamento de Riscos e Desastres (Cenad), quando chegam informações ao Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden). Também envia alertas via mensagem de texto para a população em áreas de risco. Para recebê-los, o usuário deve responder para o número 40199 com o CEP de seu interesse. Ao fim do cadastro, o cidadão é informado que o celular está apto a receber alertas de inundações, alagamentos, temporais e perigo de deslizamentos de terra.

“A aproximação da temporada de chuvas é o sinal para que o país comece a se preocupar também com a proliferação do Aedes aegypti. Atualmente, o vetor que transmite dengue, zika e chicungunha está presente em 4.870 Municípios, o que representa mais de 84% das cidades”, informa a matéria. Cabe ao Ministério da Saúde orientar o trabalho das Prefeituras no combate ao mosquito por meio da Sala Nacional de Coordenação e Controle, que envolve equipes multidisciplinares.

Veja a matéria completa aqui

Voltar