Transposição do São Francisco: CNM acompanha audiência com ministro e senadores Quarta, 06 de junho de 2018.

Jefferson Rudy Ag SenadoO ministro da Integração Nacional, Pádua Andrade, participou de audiência pública no Senado Federal para prestar esclarecimentos sobre as obras de transposição do Rio São Francisco. A Confederação Nacional de Municípios (CNM) acompanhou a reunião da Comissão de Desenvolvimento Regional e Turismo (CDR), realizada nesta terça-feira, 5 de junho.

De acordo com o projeto, serão beneficiadas 12 milhões de pessoas em 396 Municípios dos Estados de Pernambuco, Paraíba, Ceará e Rio Grande do Norte. Como representante do governo federal, Andrade falou ao colegiado, presidido pela Senadora Fátima Bezerra (PT-RN), acerca do andamento e as dificuldades para concluir as obras.

Esperança NE
Aguardada com muita expectativa, a transposição é a maior obra do Brasil de distribuição de água para o consumo humano e irá beneficiar milhares de pessoas da região Nordeste, assolada pela seca e estiagem desde o descobrimento do país. Por isso, a área técnica da Defesa Civil da CNM tem acompanhado os avanços no programa.

O ministro da Integração Nacional informou que existe um desafio a ser vencido para a conclusão das obras, sendo necessária a complementação de recurso orçamentário. Em sua apresentação, ele deu detalhes sobre o andamento das obras no trecho do Eixo-Norte 1 e do ramal do Apodi, no Rio Grande do Norte.

Recursos
Para fechar o cronograma previsto no calendário de 2018, a grande preocupação do governo federal é a construção da Barragem de Oiticica, que fica entre os Municípios de Jurucutu, Jardim de Piranhas e São Fernando, localizados no RN. Ainda de acordo com o ministro, a proposta inicial foi alterada e os recursos disponibilizados irão acabar em um prazo de quatro meses. Deste modo, existe a demanda por mais R$ 238 milhões para que os reservatórios sejam concluídos.

Ministerio Integracao nacional/DivulgaçãoComo a pasta não dispõe mais desse recurso, Andrade pediu o apoio da bancada do Rio Grande do Norte no Senado para a obra não paralisar. A reunião da Comissão também contou com a participação do senador José Agripino (DEM-RN), que enfatizou o uso dos recursos da União e dos Estados para perenização dos rios nordestinos. Preocupada com a situação, a senadora Fátima Bezerra propôs a realização de uma audiência com o Ministério do Planejamento.

Contrato
Segundo o representante, em abril deste ano, a empresa responsável pelas obras do Eixo Norte acabou não cumprindo o acordo previsto no contrato e no cronograma, e a prestação de serviços da empresa foi cancelada. Com a contração de uma nova construtora, os serviços estão sendo realizados de forma acelerada a fim de finalizar as obras com a maior brevidade possível.

Ele explicou que todos os canteiros estão funcionando 24 horas com cerca de 1 mil funcionários e garantiu que o número deve subir para 3 mil até o fim de junho, quando está prevista a inauguração da última estação elevatória do Eixo Norte, localizada em Salgueiro/PE.

Prevista para o mês de outubro, a transposição das águas do velho Chico deve abastecer o reservatório de Jati, no Ceará, passar pela Paraíba, chegando em seu destino final no Rio Piranhas, no RN. Serão, ao todo, 27 reservatórios com barragens e barramentos, mais quatro túneis, 13 aquedutos e nove estações de bombeamento, somando 477 quilômetros de obras nos dois eixos (Leste e Norte), ainda em 2018.

Voltar