Governo do Amazonas decreta situação de emergência por causa das queimadas Sexta, 09 de agosto de 2019.

Divulgação/Prevfogo AMO governo do Amazonas decretou situação de emergência em decorrência das queimadas na região metropolitana de Manaus e na região sul do Estado. De com o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), somente no primeiro semestre de 2019 foram registrados 1.699 focos em todo o Estado. A maioria, cerca de 80%, ocorreu em julho, em decorrência da diminuição do período chuvoso.

A Confederação Nacional de Municípios (CNM) alerta para os cuidados nesta época do ano e a necessidade de ações de prevenção para os altos riscos de incêndio nos Municípios. A entidade orienta prefeitos e gestores locais a aumentarem os trabalhos de conscientização da população sobre os perigos das queimadas. Uma simples bituca de cigarro jogada acesa na vegetação pode causar danos irreversíveis ao meio ambiente nas áreas urbanas e rurais.

As consequências decorrentes de desastres provocados por incêndios e queimadas incluem prejuízos econômicos e financeiros, por exemplo, na agricultura, no meio ambiente e na fauna e flora, causando grande perda de vida animal e vegetal. Nas zonas urbanas, os focos podem se alastrar e provocar incêndios em edificações, como favelas, prédios, comércios, escolas e hospitais.

Saúde
Somado ao problema das queimadas, as altas temperaturas e a baixa umidade contribuem para o aumento da poluição e prejudicam a qualidade do ar. Com isso surgem problemas de saúde para a população, principalmente respiratórios, como gripes, asmas e bronquites. Para saber mais detalhes, acesse os sites do Inmet e do Monitoramento de queimadas e incêndios do Inpe.

Da Agência CNM de Notícias
Foto: Prevfogo-AM

Voltar