Dia Internacional para a Redução de Catástrofes ocorre no domingo, 13 de outubro Sexta, 11 de outubro de 2019.

11102019 catastrofe EBCPolíticas de prevenção, sejam a acidentes, a saúde ou a desastres, ainda são desafiadoras no Brasil e no mundo. Para chamar a atenção para esse cenário, o Dia Internacional para a Redução de Catástrofes ocorre no próximo domingo, 13 de outubro. A edição deste ano alerta para as formas de prevenção e mitigação, e para a necessidade de se ter uma cultura global de prevenção e, consequentemente, de redução de ocorrências.

Criado pela Assembleia Geral das Nações Unidas em 2009, o International Day for Disaster Reduction (IDDR) objetiva chamar a atenção para a necessidade de políticas que visem à prevenção e à redução de danos humanos e materiais. A Confederação Nacional de Municípios (CNM) informa sobre a agenda e recomenda que os gestores locais promovam ações de prevenção a desastres e a emergências, a respostas e a reabilitação e a reconstrução de áreas afetadas.

A área de Defesa Civil da CNM julga fundamental alertar para o tema e orienta os gestores a desenvolverem as iniciativas com as secretarias municipais, a sociedade civil e o empresariado, lembrando que população deve ser prioridade máxima e o aspecto principal é salvar vidas humanas, animais e ambientais. A entidade embasa sua recomendação no estudo, divulgado no final de 2018, que mapeou 22.714 decretos de anormalidade reconhecidos pelo governo, nos últimos 16 anos.

Entre os anos de 2012 a 2015, conforme mostra o estudo da CNM, os prejuízos causados por desastres em todo Brasil ultrapassaram os R$ 173,5 bilhões. Do montante gasto de 2010 a 2015, cerca de R$ 5 bilhões foram destinados a ações de respostas a desastres e R$ 503 milhões em ações de prevenção, o que corresponde apenas a 10% das ações de resposta, reconstrução e reabilitação de áreas afetadas por desastres. 

Prêmio
Para alertar acerca desta realidade, a campanha deste ano tem por tema Reduzindo o risco de desastres: ações educativas em tempos de mudanças climáticas. A partir da temática, o Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden) vai premiar iniciativas de educação para redução de riscos de desastres. Até dia 31 de outubro, projetos podem ser inscritos e os resultados serão divulgados em 19 de novembro.

 AprenderParaPrevenirA 4ª edição da campanha #AprenderParaPrevenir pretende compartilhar e premiar projetos de Educação em Redução de Riscos de Desastres (ERRD) promovidas por escolas, defesas civis, universidades e institutos federais. A iniciativa tem o objetivo de aumentar a percepção de riscos de desastres socioambientais, em especial nas áreas mais vulneráveis, com riscos de deslizamentos, inundações, enxurradas e secas.

Carência
A carência de ações preventiva não é exclusividade dos fenômenos naturais e nem do poder público. No Brasil, a afirmação pode ser facilmente comprovada pela ocorrência de acidentes de trânsito, de doenças transmitidas pelo Aedes aegypti e de usuários de drogas. Diante disso, a Confederação informa os gestores municipais sobre a data reflexiva e sobre o prêmio do Cemaden.

A CNM lembra ainda que a União criou a Semana Nacional de Redução de Desastres, em 2005, para aumentar o senso de percepção de risco da população, mediante a mudança cultural relacionada à conduta preventiva e preparativa, principalmente das comunidades que vivem em áreas de risco. A campanha, memorada na segunda semana de outubro, também sugere ações educativas promovidas pelos Estados e Municípios com apoio do Sistema Nacional de Proteção e Defesa Civil (Sinpdec).

Por Raquel Montalvão
Fotos: EBC e divulgação Cemaden
Da Agência CNM de Notícias, com informações do Comaden e da ONU

Voltar